I Congresso Nacional PRESTO de Canto Coral

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

 I Congresso Nacional PRESTO de Canto Coral  

É Online, É Gratuito

“Reflexões sobre o Canto Coral Brasileiro e olhares sobre o novo momento”

A PRESTO Produções e Promoções Artísticas apresenta o I Congresso Nacional PRESTO de Canto Coral. De 29 de junho a 02 de junho o evento vai reunir alguns dos mais destacados nomes do Canto Coral brasileiro em uma ação inédita da PRESTO e também do movimento coral no Brasil.

Serão 4 dias de palestras, debates e reflexões sobre a atividade coral, onde a proposta é integrar a comunidade coral e falar sobre diversos temas de relevância para a manutenção e o fomento desta prática no país.

As atividades serão todas online, disponibilizadas gratuitamente, mediante a inscrição no site do congresso: CLIQUE AQUI PARA FAZER A SUA INSCRIÇÃO

O  Congresso vai reunir regentes, preparadores vocais, educadores musicais e coralistas de todo o país, além de estudantes de regência e demais membros da comunidade que apreciam o canto coral. 

As inscrições iniciam no dia 11 de junho a 27 de junho de 2020.

 

Sobre o I Congresso Nacional PRESTO de Canto Coral

Ao longo dos últimos anos, o Canto Coral brasileiro vem perdendo espaço, paulatinamente, diante das atividades culturais e de entretenimento.

As políticas públicas, que historicamente voltam seus olhos para outras direções, se esvaem a tal ponto, que se torna quase impossível receber e, mesmo, perceber qualquer incentivo.

Essa realidade se mostra através de uma drástica diminuição – em alguns casos de total suspensão – de apoios e investimentos de grandes empresas e instituições que no passado se orgulhavam de prestigiar e promover o Canto Coral.

Como resultado desse sucateamento e desmanche cultural, percebemos que não só a quantidade, mas também a qualidade dos coros está menor; o mercado de atuação profissional se restringe e os profissionais são pouco valorizados. Sobretudo, não há mais a renovação nem a formação de público, que é cada vez menor.

O I Congresso Nacional PRESTO de Canto Coral propõe a reflexão e o debate destes e de outros temas, como forma de nos (re)aproximar, através da troca de experiências e saberes, compartilhando ideias, buscando a valorização e o fortalecimento da nossa atividade, que é muito mais do que uma profissão.

Canto Coral é uma atividade coletiva por excelência. Da mesma forma, pensar em novos rumos através de sua revitalização também é. 

PROGRAMAÇÃO

29 de Junho

10 h – Abertura 

  • Lucia Passos (RS)
  • João Paulo Sefrin (RS)
  • Ailton Abreu (RS)

15h –  Panorama do canto coral brasileiro

  • Vilson Gavaldão de Oliveira (RS)

18h – Obstáculos para manutenção dos coros na atualidade

  • Dorit Kolling (MT)
  • Marino Galvão (PR) 
  • Márcio Buzatto (RS)

20h – Olhares sobre o coro infantil

  • Ana Yara Campos (SP)
  • Regina Hiromi Kinjo (SP)
  • Gisele Cruz (SP)
 

30 de junho

10h – A técnica vocal para coros 

  • Lúcia Passos (RS)

15h – Processos de afinação de si

  • Cristiane Ferronato (RS)
  •  

18h – Os desafios na administração das Federações de Coros 

  • Eduardo Alves (RS)
  • Daniel Andrade (MG) 
  • Geraldo Vasconcelos (MG) 

20h – Formação do regente – regente educador?

  • Jusamara Vieira Souza (RS) 
  • Jocelei Bohrer (RS)
  • Susana Cecilia Igayara (SP)
 

01 de julho

10h – “Perspectivas do Canto Coral no Norte e Nordeste pós pandemia”

  • Alba Bomfim (PI)
  • Eduardo Nóbrega (PB)
  • Sabrynna Sena (RO)

15 h – Por que cantar renascença ? 

  • João Paulo Sefrin (RS)

18h – Arranjos corais

  • Eduardo Dias de Carvalho (DF) 
  • Pablo Trindade (RS)

20h – Repertório de música brasileira para coro

  • Zezé Chevitarese (RJ)
  • Ernani Aguiar (RJ)  
  • Carlos Alberto Figueiredo (RJ)
 

02 de julho

10h –  O coro sinfônico: suas características e especificidades 

  • Manfredo Schmiedt (RS)
  • João Paulo Sefrin (RS)

15h – Criação do repertório coral para coro infantil

  • Ana Yara Campos (SP)

18h – A abordagem multidisciplinar na formação do coralista 

  • Mara Campos (SP)
  • Lúcia Passos (RS)
  • Reynaldo Puebla (SP)

 20h – A visão do canto coral brasileiro no exterior 

  • Isabela Sekeff (DF)
  • Patricia Costa (RJ)
  • Helma Haller  (PR)
 

Organizadores

 Coordenação Artística

Lucia Passos e João Paulo Sefrin

 Coordenação de Produção

Ailton Abreu

 Assistente Administrativo

Denise Luciane Alves

 Colaboração 

Clarice Pereira e Julia de Moura Passos Simon

 

Realização:

PRESTO

Empresa especializada em organização,  produção e promoção de espetáculos artísticos e eventos culturais.

Ao longo de 14 anos de atividade a PRESTO tem se destacado como referência nas atividades de música do Rio Grande do Sul e do Brasil.

Também oferece oficinas de música, recitais, seminários, shows e concertos. Disponibiliza assessoria, consultoria e treinamento na área artística e cultural.

A PRESTO conta com a produção cultural de Ailton Abreu e a coordenação da Profa. de canto e técnica vocal Lucia Passos.

Desde 2008 a PRESTO também está presente no cenário musical e artístico gaúcho, através do Madrigal PRESTO, Grupo Arte Gaúcha , Quarteto de cordas PRESTO e Camerata PRESTO

Nosso projeto cultural de maior relevância e que há 13 anos integra a programação cultural da cidade de São Leopoldo e de outras 03 cidades da região é o Projeto MusiCâmara, que mensalmente realiza concertos de música erudita, oportunizando aos músicos gaúchos, brasileiros e estrangeiros, um espaço de destaque na realização da música de câmara.

A PRESTO também disponibiliza assessoria artística e cursos, em especial na área do canto coral. Foi durante 05 anos responsável pela regência e técnica vocal do Coral Petrobrás/REFAP de Canoas.

Durante 02 anos atuou junto aos coros Juvenil do Instituto Federal Sul Riograndense  – Sapucaia do Sul e Coral Municipal de São Leopoldo.

Também realizou oficinas de Regência Coral, como a realizada em 2015, que reuniu 80 regentes e cantores de diversos estados do Brasil, além de masterclasses com renomados professores.

Em 2018 realizou o III Encontro Nacional de Acordeon PRESTO-SESC.

Alguns dos principais parceiros e clientes da PRESTO são: PETROBRAS, SESC-RS, SESI, FECORS – Federação de Coros do Rio Grande do Sul, Fundação Cultural de Curitiba, Fundação Ernesto Frederico Scheffel, Comunidade Evangélica de São Leopoldo, Comunidade Bom Pastor de Esteio,  Prefeituras de São Leopoldo, Caxias do Sul, Passo Fundo, Santa Maria, Santa Rosa, Montenegro, Lajeado, Dois Irmãos, Canoas, Sapucaia, Esteio, Nova Petrópolis, dentre outras.

Site: https://prestosl.com.br

Serviço

O que: I Congresso Nacional PRESTO de Canto Coral

Quando: 29 de junho a 02 de julho

Onde: Redes sociais da PRESTO

YouTube – https://cnprestocantocoral.com.br/youtube

Facebook – https://www.facebook.com/prestoproducoes/

Instagram – https://www.instagram.com/presto.producoes/

 

Informações

PRESTO Produções e Promoções Artísticas

Telefone: 51 3037 7784

Whatsapp: 51 9 9118 6763

E-mail: contato@cnprestocantocoral.com.br

Site: https://cnprestocantocoral.com.br/

Deixe uma resposta

Alba Bomfim

A maestra brasileira Alba Bomfim foi  uma das seis regentes, entre 161 do mundo todo, selecionadas para o 2017 Hart Institute para Mulheres Regentes da Ópera de Dallas nos Estados Unidos da América.

Ela foi  vencedora do Prêmio Eleazar de Carvalho de regência em 2009.
 
Alba participou de masterclasses sob orientação dos maestros: Christopher Zimmerman, Kirk Trevor, Colin Metters, Fabio Mechetti, Harold Farberman, Dirk Brossé, John Farrer e Marin Alsop.
 
Tem regido orquestras tais como: Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Fargo-Moorhead Symphony Orchestra, Astoria Symphony, Rose City Chamber Orchestra, Berlin Sinfonieta, Bohuslav Martinu, Orquestra Filarmonia das Beiras, Chamber Orchestra of New York and BBC Concert Orchestra.

Enquanto candidata ao título de PhD em Regência na Universidade de Aveiro foi bolsista CAPES e investigadora do INET-Md. Atualmente, Dra. Alba Bomfim é Professora Adjunta II de Regência/Práticas Interpretativas no  Curso de Música da Universidade Federal do Piauí (Brasil). 

Carlos Alberto Figueiredo

Atua na Graduação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) ministrando disciplinas na área coral (Canto Coral, Regência Coral), Análise Musical e História da Música. 

Atua também no Programa de Pós-Graduação em Música (PPGM) dessa mesma instituição, orientando pesquisas na área de Musicologia Histórica.

É Doutor em Música pela UNIRIO, com a Tese Editar José Maurício Nunes Garcia, agraciada com o Prêmio José Maria Neves da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música (ANPPOM), em 2005. 

Sua pesquisa é voltada para as questões gráficas em música, com destaque para as edições de música e a notação musical.

Participou de vários projetos editoriais brasileiros de relevo, com destaque para Acervo e Difusão de Partituras, onde atuou como coordenador editorial. 

Esse projeto editou, durante três anos, 51 obras brasileiras dos séculos XVIII e XIX, a partir de manuscritos existentes no Museu da Música de Mariana, Minas Gerais. 

Atuou também no projeto Patrimônio Arquivístico-Musical Mineiro, que disponibilizou 17 obras de autores mineiros dos séculos XVIII e XIX. É autor do Catálogo de Publicações de Música Sacra e Religiosa Brasileira – obras dos séculos XVIII e XIX. Estudou Regência Coral com Frans Moonen, no Conservatório Real de Haia, Holanda. 

Fez cursos complementares com Jan Elkema e Rainer Wakelkamp na Fundação Kurt Thomas da Holanda. Estudou com Helmuth Rilling na II Bachakademie de Stuttgart e repertório barroco com Philippe Caillard, em Paris. 

É regente do Coro de Câmera Pro-Arte, conjunto com o qual vem divulgando a obra de José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) em concertos e CDs.

Ernani Aguiar

Compositor, violista, musicólogo e maestro brasileiro. 

Pesquisador e professor de regência orquestral na UFRJ. Estudou com Guerra-Peixe, Paulina d’Ambrosio, Carlos Alberto Pinto Fonseca e Santino Parpinelli, aperfeiçoando-se em Florença.  

Como compositor, tem tido sucesso expressivo, sua música está sempre presente em programas de concertos no Brasil e no exterior. 

Atuou como solista e regente no Brasil e no exterior. Por sua dedicação à obra de Carlos Gomes, a Câmara Municipal de Campinas concedeu-lhe a Medalha Carlos Gomes.

Susana Cecilia Igayara

Possui Doutorado em Educação (História da Educação e Historiografia), pela Faculdade de Educação da USP(2011) e Mestrado em Artes (Musicologia) pela ECA-USP (2001).

Possui graduação em Música – Bacharelado em Composição pela Universidade de São Paulo (1989), Bacharelado Instrumento (Piano) pela Faculdade Mozarteum de São Paulo (1982) e graduação em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade de São Paulo (1987). Atualmente é professora da Universidade de São Paulo, com foco principal em Repertório Coral.

Coordena o Comunicantus: Laboratório Coral do Departamento de Música da ECA-USP.

Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Literatura Coral, Repertório Coral e Áreas Correlatas, atuando principalmente nos seguintes temas: canto coral, repertório coral, história da música, história da educação, educação musical, técnica vocal, teoria musical e música brasileira.

Suas pesquisas em musicologia e história da educação concentram-se na primeira metade do século XX, nos seguintes temas: Canção Coral Brasileira; Música Sacra Brasileira, Produção escrita por mulheres sobre música; História da educação musical no Brasil; Música e cultura escrita.

Antes da USP, atuou em outras faculdades de Música (Faculdade Mozarteum de São Paulo e Faculdade de Arte Santa Marcelina) nas áreas de Canto Coral, Regência, Técnica Vocal, Metodologia da Pesquisa, e em outros institutos ligados ao ensino e à prática musical, com ênfase na atividade coral e nas áreas da percepção musical, teoria e história da Música.

Participou como docente convidada em Festivais de Música, palestras e workshops. Escreveu artigos sobre compositores brasileiros, sobre repertório vocal, além de notas de programa para concertos e gravações de coros e orquestras.

Foi coordenadora do Núcleo de Estudos da Divisão de Música do Museu Lasar Segall (1985-1997) e Coordenadora do Centro de Documentação Musical da OSESP (1999).

No exterior, proferiu palestras sobre Música Brasileira na Universidade de Cambridge, Reino Unido, Universidade de Indiana em Bloomington, EUA, Conservatório Musical de Lisboa, Portugal, Universidade de Aveiro, Portugal, Academia de Verano de Dirección Coral y Pedagogía Musical em Las Palmas de Gran Canária, Espanha, Universidad Nacional de Cuyo, Argentina, Universidad Nacional de Villa María, Argentina. 

Atuou em concertos como coralista, pianista e regente coral, além de ser preparadora vocal de coros. É associada da ABEM – Associação Brasileira de Educadores Musicais, da ANPPOM – Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Música e da SBHE – Sociedade Brasileira de História da Educação. 

É líder do Grupo de Estudos e Pesquisas Multidisciplinares nas Artes do Canto (GEPEMAC).

É orientadora plena do Programa de Pós-graduação em Música da ECA-USP, nas linhas de Musicologia e Processos de Criação Musical, tendo orientado trabalhos sobre repertório vocal, práticas corais, arranjos corais, estudos de performance vocal, ensino da música vocal e trajetórias profissionais ligadas às artes do canto.

Integra a Comissão de Pesquisa da ECA-USP (titular), a Comissão de Relações Internacionais da ECA-USP (suplente) e a Comissão de Pós-Graduação do PPGMUS (suplente).

Geraldo Vasconcelos

Em Breve

Daniel Andrade

Nasceu em Belo Horizonte, em 1960. Iniciou os seus estudos musicais em 1982. Entre 1987 e 1996, dirigiu vários coros em igrejas. 

Em 1997, começou como regente do Coral da Fundação Artístico Cultural de Betim (Funarbe). 

Desde janeiro de 2006, é presidente da Associação Cultural Canto Livre de Betim, onde também é maestro do Coral Canto Livre. 

Criou o Circuito Canto Coral, com a realização de vários encontros de coros por Minas Gerais. Trabalha também com coros da Grande BH. 

Formado em Música Pela Faculdade Batista Mineira, e Presidente da Associação Cultural Canto Livre de Betim.

Regente do Coral Canto Livre de Betim e Responsável pelo Projeto Canto Livre Mirim implantado nas escolas da Rede Municipal. Responsável pelos Projeto “Cantando Pela Vida” juntamente com o Hemominas e Cantando”Pela Melhor Idade” com asilos da cidade de Betim. 

Hoje trabalha com os Corais Infanto Juvenil, Adulto e dos Funcionários de Inhotim.

Eduardo de Carvalho

Bacharel em Composição e Regência Orquestral/ licenciado em música/ pós graduação em Regência coral / Instrumentista:  Piano popular/ contrabaixo acústico/cavaquinho/violão.

Compositor e arranjador

Jusamara Vieira Souza

Doutora e Mestre em Educação Musical pela Universität Bremen, Alemanha, é Professora Titular do Departamento de Música, Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS. 

Desde 1997 tem atuado como professora no curso de Licenciatura em Música e orientadora de Mestrado e Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Música da UFRGS. Foi Presidente da Associação Brasileira de Educação Musical (ABEM) nos períodos 2001-2003 e 2003-2005. De 2000 a 2006 atuou como Editora da Revista em Pauta publicada pelo Programa de Pós-Graduação em Música da UFRGS. 

Foi Diretora da Editora da UFRGS (2002-2008) e Coordenadora Substituta do Programa de Pós-Graduação em Música da UFRGS (2009-2011). Tem desenvolvido vários projetos de Extensão na área de Educação Musical incluindo a Coordenação Geral do Projeto de Extensão “Música nas Escolas do Rio Grande do Sul: Um Programa de Formação Continuada para Professores das Redes Públicas” (2014-2016), financiado pelo FNDE/ MEC. 

Pesquisadora Nível 1 do CNPq (1995 a 2019), coordena o Grupo de Pesquisa Educação Musical e Cotidiano (EMCO), criado em 1996 e registrado no Diretório de Grupo de Pesquisa do CNPq. 

Suas pesquisas e publicações na área de música incluem os campos da sociologia e epistemologia da educação musical abordando temas como: aprendizagem e ensino de música no cotidiano, socialização musical e juventudes, música na escola e a construção da área de educação musical. 

Possui inúmeros artigos científicos, capítulos de livros, livros e ministrou diversas conferências, palestras e cursos no Brasil, Argentina, Chile, México, Espanha, Portugal e Alemanha. Possui ainda inúmeros trabalhos apresentados em Congressos Nacionais e Internacionais. 

Pela sua experiência na área tem atuado como consultora em diversos órgãos governamentais de apoio à pesquisa como FAPERGS, FAPESP, CAPES e CNPQ.

Cláudio Ribeiro

Bacharel em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Mestre em Regência pela University of Denver (Estados Unidos). Em conclusão de doutorado em Antropologia junto à Pontifícia Universidade Católica do Peru. Em Composição, teve por mestres Armando Albuquerque, Lindembergue Cardoso e William Hill.

Em 2020 completa 41 anos de atividade musical no Brasil e Exterior. Durante os anos 1988-89 estudou Direção de Orquestra e Ópera na Itália, onde foi discípulo de Guennadi Rozhdestvensky e participou de importantes produções líricas. Foi Diretor Artístico e Maestro Titular da OSPA entre 1995 e 1998 e Maestro Associado da Orquestra de Câmara de Blumenau entre 1993 e 2000. Entre inúmeras importantes orquestras que já dirigiu, encontram-se: OSPA, Metropolitana de Lisboa, Denver Philharmonic, Sodre/Uruguay, Orquesta Nacional de Guatemala, Filarmonica de Turim, Filarmonica Bulgara de Russe, Filarmónica de Montevideo, Orquestras Sinfônicas do Paraná e de Minas Gerais, Orquesta Sinfonica del Estado de Mexico, Deutsche Kammerakademie (Düsseldorf).

Desde 2015 coordena o grupo Oficina de Ópera. Na qualidade de artista em performance ou pesquisador antropológico vem representando o Brasil em diversos países, tanto em concertos, como congressos, simpósios e grupos de estudo. Como compositor, tem obras publicadas pela Editora Goldberg, É membro do Núcleo de Antropologia das Sociedades Indígenas e Tradicionais da UFRGS, da rede epistemológica Abya-Yala, da Academia Brasileira de Antropologia e da American Antropological Society

Tem artigos publicados em livros e revistas científicas nas áreas de Música, Xamanismo, Antropologia dos Sentidos e sobre os povos Kaigangs do RS, Yaneshas (Perú) e Tukano (Amazonas). É fundador do Instituto Música, organização não-governamental para promoção da paz pela Arte. Entre as distinções recebidas encontram-se Medalha ao Mérito Artístico (1978, UFRGS, Porto Alegre), Condecoração de Honra (1990, Libres, Argentina), Prêmio Destaque Musical, pela Denver University (2008, USA), Medalha ao Mérito Acadêmico, da Universidade Nacional de Trujillo (2012, Peru), Comenda Carlos Gomes (2012, São Paulo) e a Medalha de Paz da ONU (2016, São Paulo).

Estudou com renomados maestros como Jean Fournet, Helmut Rilling, Yoel Levi, Hans van Homberg, Mark Cedel, Melinda O’Neal, Eleazar de Carvalho, Roberto Duarte, Arlindo Teixeira e Ernani Aguiar. 

Em virtude de seu destacado desempenho acadêmico recebeu duas importantes condecorações nos Estados Unidos: Pi Kappa Lambda Music Honor Society e Director’s Excellence Award. Obteve, em duas oportunidades, o primeiro lugar no Concurso Jovens Regentes promovido pela OSPA. 

Foi, durante dois anos, regente assistente da Orquestra Sinfônica da Universidade da Geórgia (EUA) e, durante quatro anos, assistente do maestro Isaac Karabtchevsky na OSPA. Como regente convidado, apresentou-se: no Uruguai com a Orquestra Sinfônica do SODRE; na Argentina com as Orquestras Sinfônicas de Mendoza, da Universidade de Cuyo, de Rosario, e da Universidade Nacional de San Juan; na Sérvia, com a Filarmônica de Belgrado e a Sinfônica da Radio e Televisão Sérvia; no Canadá com a Orquestra Sinfônica da University of British Columbia – Vancouver, nos Estados Unidos, com Albany Symphony Orchestra, Northwest Florida Symphony Orchestra, Weber State Univeristy Orchestra e Northern Iowa Symphony Orchestra; no Brasil, com a Petrobrás Sinfônica, a Orquestra da USP, a Filarmônica de São Caetano do Sul, a Sinfônica Municipal de Campinas, a Filarmônica do Espírito Santo, a Sinfônica do Rio Grande do Norte e as Orquestras de Câmara da Ulbra, do Theatro São Pedro, e SESI-Fundarte. 

Em sua experiência como regente de coros, destacam-se seus trabalhos com o Coro Sinfônico da Ospa, Coral 25 de Julho de Porto Alegre e Coro de Câmara Ars Vocalis. Atualmente Manfredo Schmiedt é o regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e do Coro Sinfônico da OSPA.

Jocelei Bohrer

Formou-se em Composição e Regência pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde estudou com Arlindo Teixeira, Armando Albuquerque e Bruno Kiefer. 

Em 1989 foi contemplado com uma bolsa de estudos pelo Conselho Britânico para acompanhar o trabalho dos Cantores da BBC. 

Em Londres (Reino Unido), após ter cursado pós-graduação em Regência na Guildhall School of Music and Drama, realizou pesquisa em nível de PhD na City University, sob o título Estratégias de Afinação no Canto em Conjunto. 

Atuou extensivamente como regente de coros, tendo sido duplamente premiado com o Coro de Câmera de Brasília no Primeiro Concurso Villa-Lobos de Canto Coral, promovido pelo Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1987. 

Foi maestro de coro e regente assistente em inúmeras produções sinfônicas e operísticas realizadas em Brasília, tanto no Teatro Nacional de Brasília como na Escola de Música de Brasília. 

Recentemente, foi regente do Coral da UFRGS e do grupo vocal Musica Reservata, e tem realizado concertos com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, a Orquestra de Câmara do Theatro São Pedro, a Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul e o Collegium Musicum de Porto Alegre. 

Foi professor na Universidade de Caxias do Sul (RS), Fundação Brasileira de Teatro (DF), Escola de Música de Brasília (DF) e na Faculdade de Música Carlos Gomes (SP). 

É atualmente professor de Regência na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Marcio Buzatto

Completou dois bacharelados em música pela UFRGS, um na área de Regência e outro em Composição Musical, ambos obtidos com Láurea Acadêmica. 

Teve como principais professores universitários Celso Loureiro Chaves e Vilson Gavaldão. Foi professor de Regência e Canto Coral na UFRGS e na UFSM e, durante suas graduações, foi monitor de Contraponto Modal, Contraponto Tonal, Fuga, Teoria Musical, Regência e Canto Coral. 

Esteve à frente de alguns dos grupos corais mais expressivos do sul do país, tais como o Coral Porto Alegre, o Coral da UFRGS, o Madrigal do Departamento de Música da UFRGS e o Coro de Câmara da UFSM. 

Participou como aluno de mais de 40 cursos e festivais de música em várias áreas teóricas e práticas. 

Ministra com frequência oficinas de Regência a contrato de prefeituras e escolas de música, e tem participações como realizador de trilhas sonoras para documentários e curtas-metragens, preparador de repertório para teatro musical, arranjador e maestro convidado de grupos orquestrais e eventos. Teve sua iniciação musical no Coral Arautos do Grande Rei, de Xaxim-SC, e passagem pelos Canarinhos de Novo Hamburgo-RS. 

Em sua experiência musical, já dividiu o palco com artistas destacados como The Rolling Stones, Milton Nascimento, Paulinho da Viola, Vanessa da Mata, Kleiton & Kledir, Frank Solari, Kim Cook, Luis Gaeta, Miguel Proença, Olinda Alessandrini, Duo Siqueira-Lima, Eduardo Castañera, Mirta Álvares, Nani Medeiros, Wilson Paim, entre tantos outros. 

De 2010 a 2013, foi maestro nos Concertos Comunitários Zaffari, juntamente com o Coral e Orquestra Filarmônica da PUCRS, contabilizando um público de cerca de 80 mil pessoas ao ano, em vultosas produções deste projeto, com óperas, concertos e grandes shows. 

Em 2016, recebeu a Comenda Lobo da Costa, concedida pelo Partenon Literário em Porto Alegre-RS, como reconhecimento aos serviços prestados pela cultura e bem estar social do Estado do Rio Grande do Sul. Desde 2010, está à frente do Coral da PUCRS.

Eduardo Alves

Bacharel em Música com Habilitação em Regência Coral pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 

(2008-2012); Bacharelando em Música com Habilitação em Canto pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Foi vice-presidente da Federação de Coros do Rio Grande do Sul, FECORS de 2010 a 2018; Coordenador dos Painéis de Regência Coral da FECORS desde 2004; Participa dos Laboratórios Corais em Itajubá (Minas Gerais) desde 2005; Coordenador do Laboratório Coral da FECORS desde 2011 Experiências musicais; Cantor, Arranjador e Fundador do grupo a cappella Vocal 5, na Zona Norte de Porto Alegre desde 1999. 

Em 2010 foi selecionado a concorrer a uma vaga como tenor no renomado grupo vocal de Londres, THE SWINGLE SINGERS; Participante de apresentações com corais e grupo vocal em diversas partes do Brasil e Exterior: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Argentina, Paraguai e Alemanha; 

Montou e atuou como cantor a opereta de Noel Rosa, A noiva e o Condutor; Participou do DVD Súbita conexão do compositor e maestro Marcelo Nardruz em 2013, e este será lançado em 2014; É cantor convidado como personagem Pastor da ópera Orfeu de Monteverdi pelo Departamento de música da UFRGS; 

Participou como solista na ópera Chimango apresentada no Teatro São Pedro composta por Arthur Barbosa; Participou do UNIMÚSICA, com o musical O MAR, coordenado por Angelo Primon; Foi cantor convidado para a Sinfonia Coral Metaphysica de Vagner Cunha em Dezembro de 2013; É solista convidado dos Laboratórios corais de Itajubá desde 2005; Em 2015 organizou e participou com o Coral Viva La Vida de um flashmob com o coral dinamarquês VOCAL LINE no Salão de Atos da PUCRS; É solista convidado para recitais de canto e piano pela soprano Cíntia de los Santos; Fez aulas de canto com o barítono Carlos Rodriguez Corais.

Atualmente exerce a função de regente dos corais: Coral Vozes do Porto – Porto Alegre (independente) Coral Crivellaro Escola de Música – Porto Alegre Coral do Hospital de Clínicas de Porto Alegre  Coral da Letras da UFRGS  Coral Viva La Vida – Porto Alegre . Coral Viva Comunitário  VOCAL 5 – Porto Alegre Idealizador do ACAPPELLA RS – Encontro de grupos vocais do Rio Grande do Sul. PRÊMIOS  Com o VOCAL 5 foi campeão do quadro ACAPPELLA do programa Domingão do Faustão em 2016. 

Competição de grupos vocais a cappella; Com o Coral Viva La Vida foi campeão do Cantoritiba 2017, Festival internacional de Corais de Curitiba. Competição de corais. 

É atual presidente da FEDERAÇÃO DE COROS DO RIO GRANDE DO SUL.

Regina Hiromi Kinjo

Foi professora de Canto Coral na EMESP Tom Jobim Santa Marcelina – SP, Regente Coral Infanto Juvenil na Escola de Música de São Paulo e no Instituto Baccarelli.

Dirige o grupo vocal Madrigal “Sempre en Canto” e também o Coral do Colégio Oshiman. É regente titular do projeto Coral Vozes da Infância e João Pessoa na Paraíba.

Com experiência na área musical desde 1990, ministrou aulas de Canto Coral Infantil e Infanto Juvenil no Festival de Inverno de Campos do Jordão e Regência Coral Infanto-Juvenil na Oficina de Música de Curitiba, Coral Infantil e Adulto no Festival de Artes de Itu, Festival de Artes em Bragança Paulista, além de Workshops diversos.

Resultado de sua intensa atividade apresentou-se com seus grupos corais em eventos como: Prêmio Itaú UNICEF no Credicard Hall, Natal na Praça Júlio Prestes, Projeto Guri e Toquinho na Sala São Paulo, Natal da ULM com Lobão – Memorial da América Latina e SESC, Projeto Guri – Fortuna e Monges Beneditinos entre outros.

Há quatro anos vem participando dos episódios “Aprendiz de Maestro” com Maestro João Maurício Galindo e os atores Cássio Scapin e Andréa Bassit.

Realizou concertos com Orquestras e Bandas Sinfônicas, a convite dos Maestros Roberto Sion, Mônica Giardini e Abel Rocha. Dirigiu o coro da ópera “Pagliacci” realizado no Centro de Cultura Judaica a convite do Diretor Iacov Hillel.

Entre as gravações realizou: “Madrigal Sempre en Canto”, “Ouviram do Ipiranga”, “Natal com Projeto Guri” e “Herdeiros do Futuro” com o Projeto Guri, “Hino Nacional Brasileiro” com o Coral Monsenhor Alexandre, “Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola Redonda” com Coral da ULM e a Banda Sinfônica Jovem do Estado de São Paulo, “Encontros” com Projeto Guri e Fortuna, “Novo Mundo” com Vocal Masculino e Fortuna.

Pablo Trindade

É músico, instrumentista e arranjador. Foi regente e fundador (em 1982) da Suíte Montevideo, grupo profissional, referência dos grupos vocais uruguaios.

Foi bolsista da OEA e do Conselho Interamericano de música, na Venezuela, onde trabalhou com o Sistema de Orquestras Juvenis desse país. Regeu entre os anos 1992 e 1994 as Orquestras Sinfônicas do Estado de Lara (Barquisimeto), a Orquestra Sinfônica de Valência e a Orquestra Sinfônica dos Llanos (Guanare) onde teve a possibilidade de entrar em contato direto com a pedagogia empregada no movimento de orquestras juvenis da Venezuela, estudando os métodos de ensino e falando com os fundadores do movimento. 

A partir deste contato, desenvolveu o projeto de ensino próprio que serviu de base para a formação do Coro Juvenil Uruguaio, o Projeto de Música nas Escolas em Porto Alegre, e o atual Projeto Gira-Artes no Centro Cultural 25 de Julho de Porto Alegre.Foi Professor e Maestro Assistente da Orquestra Sinfônica Infantil do Banco de la República Oriental del Uruguay. 

Foi regente titular da Orquestra de Juventudes Musicales del Uruguay e fundador e Diretor da Camerata de Montevideo, fazendo a estréia na capital uruguaia, da ópera de Rossini La Cambiale di Matrimonio.

Foi o Maestro Assistente da Orquestra Juvenil José Artigas em Montevidéu. Regeu a Orquestra de Câmara de Montevideo e o Coro Saint Dominique, estreando mundialmente no ano 1986, a Missa Nº 2 in Fa e a Antífona da Nossa Senhora, de José Joaquim Emerico Lobo de Mesquita e o Credo de Parreira Neves, obras do período colonial de Minas Gerais, descobertas pelo musicólogo Francisco Curt Lange, com quem trabalhou intensamente, chegando a ser também Secretário do Instituto Interamericano de Musicologia e integrante do Conselho de Cultura do Instituto de Cultura Uruguaio – Brasileiro. 

Foi fundador e Diretor Geral do Coro Juvenil Uruguaio (movimento musical que envolveu jovens, regentes e professores de todo o país), estabelecendo uma estética renovadora na música coral, coral cênica e coral instrumental. 

Foi na ocasião, Diretor das Federações de Coros do Litoral e Centro de Uruguai, integrante do Ministério de Educação e Cultura do Uruguai, em Montevidéu e do Instituto de la Juventud (INJU). 

Foi Professor de Regência, Harmonia, Piano e Linguagem musical no Conservatório Fálleri-Balzo de Montevidéu, Diretor do Projeto Fábrica de Artistas, na cidade de Botucatu, São Paulo e Diretor do Projeto de Música nas Escolas na cidade de Porto Alegre em 2001

Atualmente é o regente auxiliar da Orquestra Sinfônica de Caxias do Sul que faz parte do Projeto Mais Música – RS. 

É regente e diretor artístico do grupo Expresso 25 em Porto Alegre, Brasil, desde outubro de 1996 e do grupo vocal “Sem Contraindicação” desde o ano 2003.

Eduardo de Oliveira Nóbrega

  • Professor do Departamento de Educação Musical da UFPB, nas cadeiras de Canto coral, Regência I e Regência II
  • Mestre em etnomusicologia pelo programa de Pós Graduação da Universidade Federal da Paraíba
  • Realizou Intercambio na Universidade de YALE –USA, em fevereiro de 2017 na cadeira de regência
  • Em 2018 ministrou oficina para o coral Villa Lobos de Barcelona, na Espanha – pertencente ao Centro Cultural do Brasil, órgão da embaixada brasileira.
  • Maestro titular do Coral Universitário Gazzi de Sá da Universidade Federal da Paraíba   há 16 anos
  • Maestro do Coral Inclusivo (ouvintes e não ouvintes) da empresa Coteminas.
  • Coordenador geral do Fepac, (Festival Paraibano de Coros desde de 2003

Reynaldo Puebla

Ator e diretor de teatro formado no Conservatório Municipal de Teatro da Cidade de Mendoza, Argentina.

Notório Saber de Ator e Diretor – SATED SP, Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão de São Paulo. Diretor do Grupo de Teatro Persona da Cooperativa Paulista de Teatro.

Diretor cênico do Coral UNIFESP desde 1997. Diretor Cênico do Instituto Baccarelli com jovens da Comunidade de Heliópolis – SP, de 2003 a 2007. Criador do Projeto Coral Cênico Fazendo Arte na Escola – Prefeitura de Taboão da Serra. Dirige o Projeto Canto em Movimento em Escolas do SESI Educação, São Paulo.

Diretor cênico do Laboratório Coral de Itajubá – MG desde 1987.

Diretor cênico do Laboratório Coral de Nova Petrópolis – RS, desde 2011 – (1ª Edição)

Gisele Cruz

Mestre em Ensino das Práticas Musicais pela Universidade do Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e bacharel em música pela Universidade Estadual Paulista (UNESP). 

Especializou-se em Regência Coral e Pedagogia Musical com diversos profissionais no Brasil e exterior. Coordenou as atividades vocais dos Centros de Música do SESC São Paulo, por mais de trinta anos.

Atualmente é regente do VocalDante, grupos infantil e juvenil do Colégio Dante Alighieri (SP).

Participou como professora dos Painéis de Regência Coral realizados pelo Centro da Música da FUNARTE-MINC, e ministra cursos de formação e capacitação de regentes e professores em Oficinas e Festivais por todo o país.

É autora do livro Canto, Canção, Cantoria – Como Montar um Coral Infantil, editado pelo SESC São Paulo em 1997 e 2003.

Em 2011 escreveu, para a AAPG – Associação de Amigos do Projeto Guri, o “Livro Didático Coral Infanto-Juvenil – Básico I” – versão para o educador, e em 2012 o “Livro Didático Coral Infanto-Juvenil – Básico I” – versão para o aluno.

É uma das autoras do e-book “Cadernos do Painel – A preparação do regente”, org. Eduardo Lakschevitz (2016) e idealizadora e organizadora do site www.cantoecantoria.com.br

Patrícia Costa

Licenciada, Mestre e Doutora em Música pela UNIRIO, obteve bolsa CAPES/Fulbright para doutoradosanduíche na Butler University (EUA) em 2015/2016. Sua tese “Características do repertório para coro juvenil: verificação de especificidades” foi indicada ao prêmio CAPES de teses de doutorado de 2017. 

Criou e coordena o bem-sucedido projeto coral do Colégio São Vicente de Paulo (Cosme Velho), desde 1993 em atividade contínua, contando hoje com oito corais de diversas faixas etárias e repertórios. Seu coro jovem São Vicente a Cappella é referência em âmbito nacional e conquistou o primeiro lugar na categoria juvenil misto no concurso do Summa Cum Laude International Youth Music Festival, em Viena, em julho de 2019. É professora convidada da Pós-Graduação do Conservatório Brasileiro de Música/RJ. 

É também diretora do coletivo feminino Gemas Cariocas. Tem sido constantemente convidada como palestrante/instrutora/professora em diversos festivais, painéis e laboratórios corais no Brasil e no exterior, sobretudo na área de coro infantil, juvenil e direção cênica para corais. 

Em fevereiro último, ministrou workshop para educadores e regentes de coro infanto juvenil na Casa das Artes do Porto (Portugal), além de colaborar com corais desta faixa etária também em Aveiro e Guimarães. 

Em colaboração com corais de música brasileira na Alemanha (Stuttgard, Colônia, Munique e Berlim), vem apresentando e desenvolvendo sua abordagem EYES (Expressive Youthful Ensemble Singing) que, através da interseção das linguagens teatral e musical, busca aprimorar o canto expressivo em grupo.



Zezé Chevitarese

Professora Titular de Canto Coral da UFRJ e Diretora da Escola de Música da UFRJ.

Desenvolve trabalhos na área de inclusão sociocultural através do canto coral e da música coral brasileira com foco principal nos séculos XX e XXI.

Recebeu por três vezes o prêmio PROEXT Cultura, do Ministério de Educação, pelo projeto “A escola vai à ópera”, que tem por objetivo introduzir crianças da rede pública na linguagem da ópera.

É a idealizadora e regente do Coral Infantil da UFRJ, criado em 1989, que tem em sua bagagem musical a atuação em mais de 30 montagens de óperas, cantatas, balés e obras sinfônicas no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, e do coral Brasil Ensemble-UFRJ, criado em 1999, grupo que se dedica especialmente aos compositores brasileiros. O grupo tem participado das Bienais de Música Brasileira Contemporânea, promovidas pela FUNARTE, tendo realizado diversas estreia mundiais.

Isabela Sekeff

Isabela Sekeff é mestre em Regência Coral pela Universidade de Missouri, Estados Unidos, especialista em Musicoterapia pelo Conservatório Brasileiro de Música no Rio de Janeiro e licenciada em Educação Musical pela Universidade de Brasília. Desde de 1992 é professora da Escola de Música de Brasília também onde já atuou como Coordenadora e Supervisora Pedagógica da mesma.

Atualmente é Maestrina Titular do Madrigal de Brasília (coro profissional, formado por professores da Escola de Música de Brasília), do Coral Cantus Firmus, grupo que fundou em 1992 e que figura entre os melhores grupos do Brasil, e do Coral Cantus Firmus Infanto Juvenil. 

Com o Coral Cantus Firmus já foi premiada em vários concursos, o mais recente foi em Pretória, África do Sul, onde recebeu duas medalhas de ouro (coro misto e coro folclórico) no X World Choir Games.

Isabela Sekeff já foi selecionada para participar de workshops de regência com alguns dos melhores regentes e corais do mundo, tais como, VancouverChamber Choir – Canadá, The King Singers – Inglaterra, Chanticleer – Estados Unidos e Exaudi – Cuba.

Em 2003, a regente retornou dos Estados Unidos, onde concluiu mais uma etapa da sua carreira: o curso de Mestrado em Regência Coral com ênfases em Técnica Vocal, Análise Musical, Arranjo e Repertório Coral Internacional, na Universidade de Missouri. Nos Estados Unidos foi professora assistente da Universidade aonde estudou regendo corais de alunos e viajando por vários estados deste país e também para a Itália.

Mara Campos

Regente coral desde 1978, formando e dirigindo inúmeros conjuntos, como: CORALUSP, Coral da Aliança Francesa, Coral da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Coral do Portal, Grupo Som-A-Pino, Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo e os Corais Infantil e Juvenil da Escola Municipal de Música. 

Mara Campos recebeu orientação de Adriana Ribeiro e Maria Luiza Carvalho, Benito Juarez, Hugg Ross, Henrique Gregori, J. E. Gardiner, Beth Pinheiro, Osvaldo Lacerda e Damiano Cozzella, além dos cantores Lucia Passos e Fernando Carvalhaes. 

Integrou o Projeto Villa-Lobos de Canto Coral – INM/FUNARTE e foi professora de Regência e Canto Coral em 20 edições da Oficina de Música de Curitiba. 

Regente convidada dos coros ingleses BBC Singers, New College e The Sixteen, do conjunto Vox Brasiliensis, da instalação coral Concerto Concreto da Bienal A Trama do Gosto e da gravação do CD Villa-Lobos, em Paris (França), respondeu pela criação e direção musical dos espetáculos ZAP – O Resumo da Ópera e Coro dos Contrários – 22. 

Mara Campos criou e coordenou os Festivais de Coros da Aliança Francesa, Igreja São Francisco, Grupo Pão de Açúcar e o Encontro de Coros Camargo Guarnieri do Festival do Theatro Municipal de São Paulo. 

Integra o Projeto Canto em Movimento junto a escolas de ensino fundamental do SESI em São Paulo e é professora de regência e canto coral da Faculdade de Música Cantareira e da FITO – Conservatório Villa-Lobos. 

Mara Campos é Diretora Musical e Regente do Coro da Camerata Antiqua de Curitiba.

Dorit Kolling

Graduada em Licenciatura em Educação Artística – Hab. Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1986), Especialista em Música Brasileira pela Universidade Federal de Mato Grosso e Mestre em História pela Universidade Federal de Mato Grosso (2016). 

Professora Adjunto do Departamento de Artes da Universidade Federal de Mato Grosso desde 1988, Coordenadora de Extensão da UFMT no período entre 2009 e 2012 e Diretora Artística e Regente do Coral da Universidade Federal de Mato Grosso desde 1989. 

Tem experiência na área de Artes, com ênfase em Música, atuando principalmente nos seguintes temas: música coral, regência coral, canto coral e música brasileira. 

Recebeu título de cidadã cuiabana e cidadã mato grossense e, entre outros prêmios, em 2017, recebeu a título de comendadora pela SBACE – Sociedade Brasileira de Arte, Cultura e Educação.

Vilson Gavaldão de Oliveira

Possui graduação em Medicina pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul(1996) e residencia-medicapela Universidade de São Paulo(1982).

Atualmente é Membro do Corpo Clínico da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Presidente do Associação Brasileira de Regentes de Coros, Membro do Corpo Clínico da Hospital Moinhos de Vento e voluntário do Instituto Teológico João Wesley.

Atuando principalmente nos seguintes temas: educação, música sacra, Juventude, cultura, inculturação litúrgica.

I Congresso Nacional

PRESTO DE CANTO CORAL

i CONGRESSO NACIONAL PRESTO DE CANTO CORAL

Seu E-mail está seguro conosco. Não enviaremos SPAM

Ana Yara Campos

Tem formação em música (piano), comunicação social (jornalismo), com mestrado em educação. Participou intensamente do movimento coral paulista. 

Estudou com Adriana de Oliveira Ribeiro (Santos, SP), Roberto Schnorremberg (São Paulo, SP), frequentou cursos e festivais de canto coral na Alemanha, Portugal, Itália e EUA. 

Durante 10 anos prestou serviços ao Instituto Nacional de Música da FUNARTE (Projeto Villa-Lobos), Secretarias da Cultura de SP, PR, MG, diversos órgãos artístico-culturais do país (Federações de Coros do RS e RJ) e universidades (PUC-Campinas, USP, Univap, Mackenzie), sempre em práticas ou temas relacionados ao canto coral. 

Tem atuado junto a grupos infantojuvenis, comunitários, universitários, de empresa, e também na capacitação de professores e regentes. 

Em seu trabalho, destacam-se a elaboração de arranjos corais, composições – em especial, com objetivos didáticos – versões de obras em outros idiomas adaptadas para a língua portuguesa.

Sabrynne Sena

Nasceu em Teresina-PI. Graduada em Educação Musical e Artes Visuais pela UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Pós-graduada em Educação Especial Inclusiva, Regência Coral, Gestão Cultural, Direção de Arte, técnica em Musicografia Braille. 

Educadora Musical atuando desde 2000 com musicalização de bebês, ensino regular de música e projetos sociais. Regente de coros de empresas e escolas em Porto Velho desde 2012. Diretora Geral e criadora do Projeto CANTO PARA TODOS desde 2014. 

Atualmente é regente do coral do Ministério Público do Estado de Rondônia, Coral do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia arranjadora e regente do grupo vocal Cantadô, Diretora Criativa da Cantadô Produções Artísticas e funcionária pública atualmente chefe do Núcleo de Arte e Cultura Escolar da Secretaria de Educação do Estado de Rondônia na cidade de Porto Velho-RO. Produções Musicais: 2014-Musical 90 anos Barão do Solimões -Musical Canto Para todos (2014) 2015- Canto para todos II-Canções e Momentos 2016- Canto Para todos III- Rock histórias -Canto Para Todos IV-COTIDIANO; 2017- Canto Para Todos V- Cantando Histórias 2018-Canto Para Todos VI- Cantando Amores 2019- Canto Para Todos VII- Sonhos Outras Produções -Cantatas Natalinas –

Denise Luciane Alves

Assistente administrativo da PRESTO Produções e Promoções Artísticas desde 2020, atua no atendimento de alunos e professores do Espaço Livre de Música. 

Atua ainda como auxiliar de produção dos Projetos Culturais da PRESTO – Projeto MusiCâmara, Oficinas Presto Canto Coral e Camerata PRESTO, além dos grupos artísticos da PRESTO. 

Ao longo de sua trajetória profissional desenvolveu atividades na área de vendas e suporte ao cliente, tendo realizado formação focada em prospecção e vendas nos anos de 2017 e 2018.